Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O melhor do Mundo

11
Mar18

100% português, a primeira desilusão

Sou fã do programa, verdadeiramente. É sem dúvida importante para o desenvolvimento da economia portuguesa, para a geração de riqueza e para a criação de postos de trabalho que apostemos nos produtos feitos por nós e nas nossas marcas. 

O facto de a RTP, a estação pública, ter feito este programa, como tem outros, é importante pois mostra-nos, de forma descontraída, uma série de marcas ou projetos que não conhecemos. Aqui em casa somos fãs desde o início. 

Mas, infelizmente nem tudo é tão claro como parece.

Comprámos casa no ano passado e pretendemos renovar a cozinha. Quando num dos episódios o Raminhos foi procurar eletrodomésticos fomos pesquisar ao site da Meireles e a relação qualidade/preço de todos os eletrodomésticos que precisávamos agradou-nos. Na realidade já conhecíamos a marca, já tivemos um fogão da Meireles, mas nunca tínhamos pensado neste pormenor. O programa estava a cumprir a sua missão e a fazer-nos querer equipar a cozinha com produtos portugueses.

Entretanto, não conseguimos esperar pela renovação da cozinha (que pelos vistos está para lá do horizonte) e tivemos necessidade de comprar a máquina de lavar loiça. Fomos à loja, orgulhosamente pedimos para ver um modelo específico da marca Meireles e falámos um pouco com o vendedor sobre o motivo de querermos aquela máquina. E foi aí que o senhor nos deixou um bocadinho tristes. Efetivamente a marca é portuguesa mas, segundo ele, de todos os eletrodomésticos que comercializam, apenas os fogões e um exaustor são fabricados em Portugal. A máquina, por exemplo, é feita na Turquia.

Ora, efetivamente a marca é portuguesa, e aí o programa não mente, mas pensámos, eu e o L.: de que é que nos serve comprar uma marca portuguesa que está a fabricar fora e na realidade gera trabalho e parte da sua riquesa fora de portas? Feitas as contas, com o preço da máquina que íamos ver, trouxemos uma marca italiana mas com uma qualidade ligeiramente superior e com 4 anos de garantia "de origem" da marca.

Queremos continuar a apostar em produtos portugueses porque é de facto importante para o país, mas sinceramente nesta fase consideramos mais importante apostar em marcas que tenham fábrica em Portugal, pois apostam na mão-de-obra portuguesa e geram trabalho e consequentemente riqueza, do que em marcas que efetivamente são portuguesas mas só de nome.

Continuamos a gostar muito do programa e a segui-lo, mas não deixou de ser uma pequena desilusão. 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D